segunda-feira, 16 de outubro de 2017

E o País arde...

Infelizmente, por mão de tamanhos ignorantes que não se apercebem do mal que fazem por meia-dúzia de tostões...

À semelhança do que já fiz antes, ofereço o Álbum de Teatrum, na versão digital (até porque não existe outra) a quem quer que seja que faça donativos seja de que montante.

Quem quiser pode enviar um e-mail para o endereço que consta ali à direita e eu envio o link para descarga.


sexta-feira, 7 de julho de 2017

Desafio

Alguém se quer candidatar a fazer algum video, apresentação, ou seja o que for com base nas músicas do projecto?

Para isto ficar interessante podemos, à semelhança das capas, fazer uma espécie de um concurso com votações on-line.

-Um concurso? - perguntais vós de sobrolho levantado - E que é que se ganha no fim?

Ora aqui está uma pergunta justíssima. Um concurso que se preze tem de ter um prémio!

O prémio será...

...será...

(perem queu tou a pensar, pá...


...só mais um bocadinho, que isto cada vez que eu penso acontecem coisas esquisitas...

...caem-me braços e cenas afins...)

...será um livro!

Mas não será um livro qualquer! Será um livrodisco ou um discolivro, dependendo da perspectiva!

O prémio será isto!


Para quem não sabe, isto é um livro de crónicas de coisas engraçadas que ocorreram ao longo de muitos anos de estrada, embora transportadas para um universo satiricamente rock! 
E no interior está o primeiro álbum de XXL Blues!

Ou seja, quem gostar mais do álbum que do livro poderá encarar o livro como o encarte do CD.
Quem gostar mais do livro que do álbum poderá encarar o CD como um mini-disco de arremesso.

Quem não gostar de nenhum dos dois já tem uma prenda óptima para oferecer no natal naquelas tretas de empresa em que se trocam prendas com aquele colega que detestamos e nunca falamos ao longo do ano.

Cumé? Bora nessa?

Como estas coisas demoram tempo a fazer, vamos pôr um prazo de submissão até  31 de Agosto. Do corrente ano, claro!

Beijos e abraços respectivamente :)

C.N. Gil

quinta-feira, 29 de junho de 2017

...all things come to pass



Após o exdrúxulo tema "Dementia" fica aqui o tema mais soft de Teatrum "...all things come to pass" com imagens de uma das poucas actuações ao vivo dos Teatrum, neste que é o último post acerca dos Teatrum por aqui.

Espero que gostem

 Se gostarem partilhem :)



terça-feira, 20 de junho de 2017

Ajuda às vitimas do Incêndio de Pedrogão Grande (e dos restantes concelhos atingidos)

Estava a pensar em como poderia ajudar (além de levar viveres e águas para o quartel dos bombeiros e contribuir financeiramente com o muito pouco que posso)

Claro que não desviaria nada deste projecto para outro.

Mas, uma vez que tenho um outro álbum gravado, de um projecto que está na prateleira há anos, e uma vez que refiz recentemente todas as gravações desse projecto, lembrei-me disto.

Ofereço a versão digital do álbum de Teatrum, que podem ouvir aqui na integra, a quem me enviar um comprovativo de um donativo de qualquer valor para as vitimas do incêndio

Grato a todos

Adenda:

Após várias perguntas e sugestões, inclusive da menina que dá a voz a estes temas, a Xana Gui esclareço:

-O donativo será feito por vós à instituição que preferirem. Eu sugiro a conta que a CGD disponibilizou

CONTA SOLIDÁRIA CAIXA
IBAN: PT50 0035 0001 00100000 330 42

Mas é só uma sugestão.

Não interessa o valor da doação

-Enviem um e-mail para filhosdodesespero@gmail.com com o comprovativo da doação.

-Na resposta recebem um link para download do Álbum completo´

-O álbum apenas está disponível nesta forma e por algum tempo (basicamente, enquanto chegarem e-mails com doações)

Isto é um mero gesto de agradecimento de um (quase) filho daquelas terras (filho de uma filha, vá... Neto!)

Se quiserem partilhar, sintam-se à vontade

Obrigado e Bem Hajam

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Mais uma boa notícia e um bom exemplo

A aldeia onde a minha mãe nasceu e cresceu, chamada Coelhal, estava dada pelos jornais como uma das povoações que mais tinham sido atingidas pelo incendio. Num vale, exactamente no caminho do fogo, temia o pior.
Aquela aldeia para mim é, hoje, um lugar de recordações, um sitio por onde passo para mostrar à mini-me as suas origens. Para a minha mãe e a sua terra.
Com as noticias que via, temia o pior. Temia que a aldeia tivesse sido apagada do mapa.
Mas as pessoas que ainda lá vivem fizetam o que sempre fizeram. As matas estavam limpas. O fogo passou a lado, rodeou toda a aldeia, mas não tocou numa unica casa. As pessoas nao precisaram de ser evacuadas. Passaram momentos de aflição, mas a aldeia esta lá, intacta, ao contrário de tantas outras....


  • Um bom exemplo daquilo que a prevenção faz!

noname-metamorphosis: Da tristeza profunda

noname-metamorphosis: Da tristeza profunda: Acredito, ou não, que até estejam consternados, embora, no meu entender,  se devessem sentir culpados, devendo até ser julgados e cond...

Coisas de uma vida.: Sofreram horrores apenas em segundos

Coisas de uma vida.: Sofreram horrores apenas em segundos: Como  pode  alguém  assim sobreviver Quando é forçado a não fazer escolhas Fogem...desorientados para não sofrer Mas ficam isolado...

De Luto


O familiar do qual não tinha notícias já apareceu. Está bem, embora completamente em choque!
O seu carro foi um dos que ardeu na nacional, mas ele conseguiu sair de lá. O que ele me tentou descrever de como tudo se passou é inimaginável!
Mas as boas notícias não apagam as más que chegam de surpresa.
Estava preocupado com o meu primo que vive lá e chega-me a notícia de que uma prima e o marido, que lá tinham uma casa de férias e foram passar o fim-de-semana, morreram na 326, ela dentro de um dos carros, ele dado como desaparecido mas sendo quase certo que é um dos corpos carbonizados encontrados perto.

Só espero que não tenham sofrido muito, eles e todos os outros que faleceram naquele mesmo lugar enquanto tentavam fugir às chamas! Que descansem em paz!

Não sei mais o que dizer acerca disto! Por isso não digo mais nada. Há altura em que o silêncio se impõe.

domingo, 18 de junho de 2017